20 de nov de 2011

MODELOS CONFECCIONADOS POR MIM

SEGUE ALGUNS MODELOS CONCEITUAIS E DE MODA SOCIAL PARA O DESFILE (PROJETO DE FINAL DE CURSO DE UMA ALUNA MINHA CAMILA FRACISCO). MODELO VENDA
MODELO VENDA
MODELO CONCEITUAL
MODELO CONCEITUAL (gavião real)
MODELOS

21 de mai de 2011

A MEDIDA CERTA PARA SEU CORPO

Saiba o que muda com a (nova) padronização do vestuário
Edição: luciana vicária

Poucas pessoas sabem o perímetro de seu quadril, tórax ou cintura. Mas, a partir dos próximos meses, esses indicadores serão essenciais para quem deseja renovar o guarda-roupa. As medidas do corpo estarão impressas na etiqueta da roupa, ao lado dos números (36, 38, 40 etc.) e das letras (P, M e G) que conhecemos. O novo padrão tem potencial para mudar radicalmente o comportamento de quem busca uma peça nas araras. Em vez de pedir uma calça pelo tamanho, basta informar as medidas do corpo: 1,70 metro e 95 centímetros de quadril.

“Adoro comprar roupas no Brasil, mas nunca sei que número pedir”, diz a estilista americana Vera Wang, conhecida por seus modernos vestidos de noiva. “Tenho roupas que variam do 36 ao 40.” O drama da estilista é o mesmo de boa parte da população e só acontece porque não há normas para tamanhos de roupas. Nos Estados Unidos e na Europa, as medidas são padronizadas. Aqui, a indicação de tamanho é aleatória. O P de uma marca equivale ao M da outra, e assim por diante.
O primeiro setor a adotar a nova norma é o de confecção infantil. “Tive de aumentar o comprimento de algumas peças e reduzir o de outras”, diz o empresário Roberto Yokomizo, proprietário da marca YKZ. Ele segue à risca as recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que orienta a padronização. Yokomizo ajustou seus moldes aos tamanhos definidos pela ABNT e criou uma etiqueta especial para cada numeração. Nela, coloca medidas como altura, perímetro do tórax e cintura da criança (ilustração abaixo).
O caos da numeração
Os dois extremos das medidas corporais, em roupas teoricamente de mesmo número



Fontes: tamanhos divulgados por 47 fabricantes de roupas infantis e ABNT

O vestuário masculino deverá ganhar uma regra parecida em fevereiro. A ABNT ainda não definiu as medidas corporais de cada tamanho, mas se sabe que haverá roupas para três tipos físicos: atlético, normal e especial. A Adidas deverá usar a tabela de corpo atlético. A C&A, de normal. E as lojas que fabricam roupas para obesos a tabela de tamanho especial. A divisão já existia informalmente no varejo. “O problema é que cada fábrica criava tamanhos próprios para sua confecção”, diz Maria Adelina Pereira, da ABNT. “Agora, todas terão a tabela para se guiar.”
A tarefa de comprar roupas pela internet poderá ficar mais fácil. “O consumidor ainda não arrisca, porque não confia na numeração”, diz Roberto Chadad, da Associação Brasileira do Vestuário. “Ele não sabe se aquele símbolo estampado na etiqueta vai servir ou não em seu corpo.”
A numeração brasileira para adultos (36, 38, 40...) teve origem na prática de alfaiates franceses do início do século passado. Ela é a expressão, em centímetros, da medida que vai do ombro até a cintura. A referência é útil para a confecção de camisetas, blazers e paletós, mas não serve para calças, bermudas e saias. Sem norma para seguir, as confecções brasileiras ajustaram o manequim ao que imaginavam ser o corpo do cliente. O resultado é uma selva de tamanhos com o mesmo número. Pela dificuldade que apresenta, a padronização de medidas femininas ficou para o final. Espera-se que ela esteja pronta até o fim do ano.
A nova norma não é obrigatória. As confecções podem segui-la ou ignorá-la. Grifes que desenham roupas para magros e altos podem recusar-se a adotá-la. A marca pode alegar que perde a identidade se alargar o perímetro do quadril ou encurtar o comprimento da perna.
Ainda é cedo para saber quais marcas vão ceder à pressão do mercado. Grandes magazines como C&A disseram sim ao novo padrão. Os consumidores ainda não se manifestaram.


FONTE: REVISTA EPOCA

MOLDE DE VESTIDO E MIL E UMA FORMA DE VESTIR

O VIDEO MOSTRA ALGUMAS MANEIRAS DE VESTIR SEJA CRIATIVA E ENCONTRE OUTRAS



O MOLDE




Escolha tecidos elásticos para poder moldá-lo melhor ao corpo
A linha pontilhada mostra a altura onde fica a pequena abertura (por onde se passa a tira )
A tira é costurada na extremidade do tecido
Antes de cortar no tecido, confira se o molde está correto para seu tipo de corpo ou se precisa de alguma modificação ( por exemplo o espaço entre os braços)


UMA PUBLICAÇÃO DO BLOG: queromodelarcosturar.blogspot.com

DESENHOS TÉCNICOS DE PEÇAS DO VESTUÁRIO

T-SHIRT


CAMISA PÓLO



CAMISA MANGA RAGLÃ MANGA LONGA



CAMISA SOCIAL



CALÇA SOCIAL



CALÇA PROFISSIONAL MEIO ELÁSTICO



CALÇA ESPORTE



CALÇA ELÁSTICO TOTAL



CAMISETE FEMININA

13 de mai de 2011

COMPRIMENTO DAS SAIAS E SUAS NOMENCLATURAS


MICRO: Mais curta que a mini-saia.
MINI: O comprimento é de 20 cm ou um pouco mais acima do joelho.
CURTA: Comprimento de saia 20 cm acima do joelho.
PADRÃO: Saia acima do joelho.
ALTURA DO JOELHO: Saia que cobre os joelhos.
MIDI: Saia abaixo do joelho, mais acima da panturrilha.
ALTURA DA CANELA: Comprimento que estende até o meio da panturrilha.
ALTURA DO TORNOZELO: Uma saia aberta que atinge os tornozelos.
LONGA MAXI: Uma saia que cobre os pés e encosta no chão.

COLABORAÇÃO DO BLOG SEU GUIA DE MODA

SAIAS











4 de mai de 2011

TEAR RÚSTICO DE TECIDO

ENCONTREI E COMPARTILHO COM VOCÊS BEM INTEREÇANTE

29 de abr de 2011

COMO USAR O ESQUADRO EM MODELAGEM

video
ENCONTREI ESTE VÍDEO NA INTERNET E GOSTEI DO CONTEÚDO E COMPARTILHO COM VOCÊS
DICA DE SOLANGEPM NO YOU TUBE

TIPOS DE CORPOS


VEJA ONDE VOCÊ SE ENQUADRA AI VERIFIQUE A MODELAGEM CERTA PARA VALORIZAR SEU CORPO

DICAS E TRUQUES PARA PARECER MAIS MAGRA.




Quem disse que para se vestir bem é preciso ter o corpo daquelas modelos altas, lindas e ainda por cima magras?
O que vale mesmo na hora de se arrumar são algumas dicas do que as mulheres podem usar. Também é preciso ficar atualizada sobre os mitos e as verdades a respeito do que favorece ou não a silhueta. Veja algumas dicas da loja Palank Fashion para parecer mais magra.


Sobreposições

Super na moda, as sobreposições podem disfarçar os quilos a mais. Ficam bem interessantes aquelas em que se usa uma peça rendada por baixo e, por cima, uma blusa cache-coeur. Trespassada, ela oferece profundidade ao decote e suas linhas transversais dão a ilusão de emagrecimento.
Drapeados
É um mito dizer que drapées não ficam bem em quem está um pouco acima do peso. Quando o drapeado for enviesado ele dá uma sensação visual de alongamento, podendo ser usado sem medo.
Listras
As listras estão nas coleções de inverno, ao lado das estampas gráficas. Elas ficam ótimas quando transversais ou verticais. Dessa forma a silhueta fica mais afinada. Disfarçam inclusive cinturas mais amplas.
Babados e jabôs
São permitidos! Os jabôs, por serem verticais, alongam o decote e valorizam o colo. Babados muito grandes devem ser evitados.
Blusê
Ao contrário do que dizem, o efeito blusê, franzido embaixo, na barra, disfarça os quilos a mais, desde que não haja muita sobra de tecido. Quando cortado em viés dá a sensação de encompridar a figura.
Modelagem
Enganam-se aqueles que pensam que a modelagem para pessoas acima do peso ideal tem que ser reta ou ampla demais. A modelagem basque, suavemente acinturada afina a silhueta, especialmente nos paletós e casacos.
Decotes
É sempre interessante ressaltar o colo e alongar o pescoço. Sendo assim, os decotes em V são bem-vindos, sempre. Outro decote que destaca essas partes do corpo são aqueles degagée, isto é, aqueles amplos, que desabam pelo colo. Devem ser sempre de tecidos leves e molinhos como malha de algodão e jersey.
Mix de estampas
Elas podem ser usadas sim, desde que combinadas, lado a lado, em recortes verticais. As mais miúdas disfarçam as medidas maiores.
Recortes
Recortes verticais, especialmente em vestidos, casacos e paletós alongam a silhueta, dão um efeito emagrecedor.
Truques
Camisas são ótimas opções de top. A linha do abotoamento, vertical, cria uma ilusão de alongamento. Usadas com paletós ou jaquetas abertas, malhas de decote em V ficam ainda mais emagrecedoras visualmente.
Colares longos estão na ordem da estação e são excelentes na arte de iludir o olhar. Utilizados com peças de decote redondo ou canoa, eles encompridam a silhueta. O mesmo efeito têm os écharpes e cachecóis, usados abertos ou enrolados no pescoço e com as pontas caídas na frente.

Fonte: www.terra.com.br

7 de fev de 2011

ECERRAMENTO Curso de Moulage FOTOS

FOTOS DO ENCERRAMENTO









4 de fev de 2011

EXPOSIÇÃO DE MODELOS NO POLO DE MODA AM

MODELOS DE ESTILISTAS LOCAIS



















CURSO MOULAGE SENAI AM 2010

MOULAGE




MODELOS DE ALUNOS