8 de nov de 2010

DESENHOS TÉCNICOS

CAMISA SOCIAL FRENTE E COSTAS



CALÇA ELÁSTICO TOTAL FRENTE E COSTAS



CALÇA SOCIAL FRENTE E COSTAS




CALÇA ESPORTE FRENTE E COSTAS

MAIS UM ALUNO OLÍMPICO

MEU ALUNO ORGANIZANDO SEQÜÊNCIA OPERACIONAL DA PEÇA





PEÇAS TRABALHADAS NO TREINAMENTO DE INTERPRETAÇÃO DE MODELO

10 de jun de 2010

Zíper Invisível Recomendações e cuidados

Recomendações e cuidados
O Zíper invisível destinado a roupas femininas,geralmente utilizado em vestuário moda festa,confecções justa, tende a trazer alguns problemas. Para isso, estamos divulgando algumas recomendações para evitar alguns problemas que podem surgir.



Recomendações:
- Utilizar tecidos leves e planos para a
aplicação de zíper invisível.
- Usar calçadores próprios para aplicação(plástico ou de metal) e adequados ao tipo de tecido e modelagem adotada.
- Não recomendamos a utilização deste artigo para aplicação em peças com modelagens justas e/ou tecidos com elastano.
- Evitar costuras que formam acúmulos de tecidos(Figura 2), pois pode ocorrer o desengrenamento do zíper.
- Procurar desenvolver modelagem e, sempre que possível, utilizar algum tipo de fecho ou colchete, para que o zíper não sofra todo o esforço ao fechar a peça.
- Evitar usar zíper invisível em modelagens de calças que tenham cintura muito baixa, pois este tipo de modelagem exercem muito esforço sobre o zíper.
- Não recomendamos usar zíper invisível em produtos que venham a receber processos de
lavagem ou tingimento industrial, pois são agressivos e podem danificar o zíper (espiral e cursores).
- Recomendamos sempre ao vestir a roupa, procurar auxiliar com as mãos para evitar que todo esforço sobrecaia sobre o zíper.
- Quando observar que o zíper está enroscando em algo ao vestir alguma peça, evite forçá-lo sem antes verificar o que está causando tal ocorrência, pois a insistência
para fechar o zíper poderá causar deformação nos dentes e provocar o desengrenamento.
- Evitar que costuras passem sobre os dentes do espiral para não deformá-los, facilitando o seu desengrenamento.


Figura 2 - Excesso de tecido não deixando o
cursor funcionar normalmente


FONTE
www.coatscorrente.com.br

Relação entre Agulhas e Linhas de Costura

Agulhas e Linhas de Costura

Para cada tipo de matéria-prima e processo de costura, existe um tipo de linha apropriado. Tão importante quanto a escolha da linha, é a adequação da agulha ao tipo de tecido. Agulhas mais finas proporcionam menor atrito e não causam danos ao tecido.

Adequação linha x agulha



Consumo de Linha

22 de mai de 2010

PENCES PARA QUE SERVEM?

As penças servem para dar uma forma mais ajustadas aos modelos, os quais delineiam de forma criativa a silhueta do corpo humano.




DE POSSE DA BASE SUPERIOR COM A PENÇA FUDAMENTAL, PODE-SE TRANSPOR A MESMA PARA FRANSIDOS, RECORTES, DRAPEADOS OU PREGAS.




ALGUNS EXEMPLOS DE TRANSPOSIÇÃO DE PENÇAS
TRANSPOSIÇÃO DA PENÇA FUNDAMENTAL PARA O DEGOLO
FIGURA 1



FIGURA 2


EFEITO



TRANSPOSIÇÃO DA PENÇA FUNDAMENTAL PARA O RECORTE SOBRE O BUSTO

FIGURA 1


FIGURA 2




EFEITO




TRANSPOSIÇÃO DA PENÇA FUNDAMENTAL PARA PALA DIANTEIRA


EFEITO

21 de mai de 2010

DESENHO TÉCNICO BATA/GUARDA PÓ FEMININO

GUARDA PÓ OU BATA FEMININA

MOLDES PROFISSIONAL

15 de mai de 2010

MODELAGEM 2010

MODELAGEM
Conceito:
Modelagem é a técnica utilizada para representar em uma superfície plana uma vestimenta criada em desenho tridimensional, possibilitando assim, a sua confecção em materiais com aviamentos adequados.
Importância:
Sendo o ponto de partida para o processo produtivo de uma confecção, a modelagem assume papel fundamental. Dela depende a qualidade final do produto, considerando-se o emprego do tecido adequado ao modelo escolhido, a função a que se destina, o público consumidor que se pretende atingir, os padrões de estética e de moda vigentes, entre outros.
MODELISTA
É o profissional que confecciona os moldes de acordo com as especificações do desenho.


OS DETALHES NA MODELAGEM SÃO FUNDAMENTAL PARA UM BOM CAIMENTO NA ROUPA



CURSO DE MOLDES BASES

ATENÇÃO AOS DETALHES OS PIQUES SÃO IMPORTANTES NA CONFECÇÃO DO MODELO



SER MODELISTA PROFISSÃO PARA TODOS. JOVENS, ADULTOS, HOMENS E MULHERES


ENTRETELAS

ENTRETELA

As entretelas são a “alma” do tecido, tendo a função de “sustentá-lo” na peça acabada, encorpando-o, dando-lhe melhor acabamento, superfície, visual, toque e consequentemente, qualidade.
As entretelas fusionáveis compõem-se de bases tecidas ou não tecidas (perlon), que levam a aplicação de um adesivo termoplástico em sua superfície, que adere aos tecidos, que precisam ser entretelados, através de calor, sob as condições técnicas recomendadas de Temperatura, Tempo e Pressão, de acordo com cada adesivo.

Para que uma peça de vestuário apresente um aspecto perfeito, a escolha e a aplicação da entretela certa é tão importante como o assentar correto do molde.

CONSUMO DE LINHAS


CONSUMO DE LINHAS

Camiseta T-shirt adulto = 76 m
Camiseta T-shirt infantil = 60 m
Vestido adulto = 183 m
Vestido infantil = 73 m
Blusa = 46 m
Short adulto = 60 m
Short infantil = 37 m
Calça adulto = 183 m
Calça infantil = 120 m




Segue uma tabela para ajudar no cálculo de consumo de outras peças

Cm de linha
por cm de costura



Ponto firme 2.5 cm
Ponto corrente simples 4.0 cm
Ponto corrente duplo 8.0 cm
Ponto firme zig-zag 7.0 cm
Ponto chuleado com 2 linhas 12.0 cm
Ponto overlock com 3 linhas 14.0 cm
Ponto de segurança com 4 linhas 17.5 cm
Ponto de segurança falso com 4 linhas 18.0 cm
Ponto de segurança com 5 linhas 20.0 cm
Ponto de segurança com 6 linhas 21.0 cm

ARTIGOS TÉCNICOS (JEANS)



A HISTÓRIA DO JEANS
A raiz da palavra Jeans foi notada pela primeira vez em 1567 como Genoese zou Genes, um termo usado na descrição das calças dos marinheiros da cidade italiana Gênova.
A sua história como peça do vestuário começou por volta de 1850, quando o jovem Levi Strauss de 24 anos, imigrante judeu da Bavária foi para os Estados Unidos vender um produto para os mineradores. Sua intenção era de levar lona para fazer tendas e toldos para carroças, só que os mineradores queriam roupas para o trabalho pesado. Inspirado por essa sugestão, Levi Strauss leva um mineiro a um alfaiate e com seu estoque não vendido de um tecido de cor escura, produz para seu freguês uma nova calça: nascia então o jeans.
JEANS E AS GERAÇÕES
O sentido inicial do uso do jeans cedeu lugar nos anos 50 ao símbolo de rebeldia. Começou a ser vestido pelos cawboys do asfalto que "aterrorizavam" a Califórnia com suas Harley-Davidsons. Elvis Presley em 1957 já usava seu jeans, e desde então rock e jeans são inseparáveis.
Modelos como Marilyn Monroe e Jayne Mansfield usavam jeans apertado para mostrar como uma trabalhadora tradicional poderia ser sexy. Nos finais dos anos 60 adeptos do movimento hippie adoravam essa peça de roupa por ser funcional e barata. Jaquetas e calças jeans viraram febre para uma juventude independente que se reunia e celebrava seu estilo de vida em festivais de rock como Woodstock e Monterey.Desde sua invenção, o jeans já vestiu trabalhadores, cowboys e jovens rebeldes. Hoje, vincula-se como um dos elementos mais democrático e universal do vestuário do século XX.
A ERA DO JEANS TECNOLÓGICO
O jeans saiu das minas americanas, em 1953, passou pelas fazendas, uniforme das forças armadas e virou febre entre os jovens rebeldes da década de 70. Ele realmente é um mutante, resistiu ao tempo, conquistando mais e mais adeptos até chegar às boutiques e lojas de marcas luxuosas. Nessa trajetória, ele perdeu toda sua rudeza e ganhou novos conceitos que o tornaram uma unanimidade, a “tendência” que veio pra ficar.
Às vésperas de completar 150 anos, o jeans estabeleceu-se como o uniforme nada básico do século XXI. Apesar das misturas de tecidos, cores, apliques e lavagens ele consegue manter intacta sua legitimidade. Mesmo mudando de cara a cada estação, a essência continua a mesma.
Talvez essa pluralidade o tenha tornado fundamental. Que outro tecido permitiria aos estilistas tantas releituras e abusos criativos? Eles não se cansam de inventar novas faces para o jeans, e essas possibilidades, parecem jamais se extinguirem. Uma prova dessa versatilidade, foi a palestra ministrada pela coordenadora da Hi-Tech, Blanca Leone, onde na ocasião mostrou as tendências mundiais do jeans para o verão 2004. Na oportunidade, mais de 100 peças foram desfiladas, demonstrando os efeitos conseguidos através das novas tecnologias de lavagens e tinturaria.
A COR DO JEANS
Por que o jeans é azul?
Uma resposta fácil – e nem por isso menos verdadeira – é que o azul é um açor agradável, ligada à idéia de limpeza e de vastidão (como o céu e o mar). Mas segundo Luiz Pegorin, gerente de produtos da Santista jeans ware (1999), há uma razão mais concreta: o índigo (corante que dá a cor azul) é o único que tem seu aspecto renovado mesmo após várias lavagens.
Lavando com pedras – os primeiros a usar roupas tingidas com índigo foram os trabalhadores mineiros do começo do século, nos eStados Unidos. Com a mesma calça usada no eles saíam para dançar nos fins de semana: bastava entrar no rio para lavar-se, de roupa e tudo e esfregar a sujeira com pedras. As roupas ficavam limpas mas também desgastadas, aspecto que incorporou ao jeans. Hoje o jeans passa por uma lavagem com pedras ou produto químico (stone washed) em lavanderias industriais.
ÍNDIGO – corante inicialmente extraído das plantas, mas hoje feito à base de petróleo.
JEANS – são peças (calças, jaquetas, saias ou vestidos) que exibe, certas características, como as costuras duplas e os cinco bolsos (five pockets, em inglês).
DENIM – é o tecido mais tradicional das peças jeans, de trama sarjada (com fios na diagonal) e técnica de tingimento que mistura algodão de coloração índigo e cru.
CHAMBRAY – tingido como o denim, tem armação em tela (fios horizontais e verticais). Mais leve é usado em camisas e vestidos.

MODELAGEM 2010




CURSO DE MODELAGEM DE BASES